Está dada a largada para o novo #desafioToloi. Em meu primeiro desafio, ajudei cerca de 250 pessoas a conhecerem um novo estilo de vida e até hoje recebo diversas mensagens em nosso grupo do Telegram sobre as reverberações daqueles 30 dias.

Dessa vez, serão 90 dias de atendimento individualizado para que as mudanças ocorram visando resultados a longo prazo. Além disso, agora, os participantes poderão contar com ainda mais suporte.

Neste desafio teremos:

– Suporte ativo dentro do curso;

 – Consulta médica comigo;

– Avaliação com nutricionista com entrega de plano alimentar individual;

– Dicas de atividades físicas com educador físico;

 – Pedido de exames individuais;

– Análise e prescrição médica individual.

E MAIS:

– Exame de Bioimpedância no início e no final do desafio para participantes que podem se deslocar até a clínica;

– E-book sobre alimentação saudável;

– E-book com receitas saudáveis;

– Acesso a conteúdos diferenciados, incluindo aulas ao vivo;

– Brindes.

As vagas são super limitadas porque quero atender a cada um de maneira individualizada. Então, é preciso garantir a sua o mais rápido possível. Teremos três lotes de vendas que serão esgotados a partir da quantidade de vagas. O primeiro custa menos que uma consulta comigo em São Paulo e já está disponível para compra. O valor pode ser parcelado em até 12 vezes.

Acesse agora mesmo clicando aqui.

A ceia de Natal é realmente uma tentação. Há aqueles que esperam todo o ano para reunir a família nesta época do ano e, claro, comer bastante. Em meio a tantos alimentos deliciosos, eu sei que é difícil se manter firme na dieta. Mas, tome cuidado com os exageros porque as consequência deles duram por muito tempo.

No meu blogpost de hoje, você conhecerá todas as dicas e segredos para aproveitar a ceia sem sair dos trilhos.

Minha primeira recomendação é na hora do preparo dos alimentos. Esteja pronto para escolher muitas opções de saladas para que ela não fique em falta na hora de montar o prato. Outra dica é optar pelas opções de zero açúcar ou light, como no caso do creme de leite ou das bebidas que irão acompanhar o jantar. 

CARNES:

Independente se foi você quem cozinhou ou se a mesa feita pela família apresenta inúmeras opções, escolha aquela de carne magra. Tenho três sugestões para que você não diga que não existe opção: filé de peito de frango, peixe com grãos ou o famoso peru.

Se possível, mantenha-se longe das carnes mais pesadas e gordurosas tais quais picanha, alcatra e cupim, que aparecem muito no churrasco do dia seguinte.

ACOMPANHAMENTOS:

Para conferir mais saciedade, vale a pena investir na mistura de alguns alimentos, como é o caso das castanhas, que diminui o índice glicêmico, e o arroz. Apenas tome cuidado para não exagerar na porção.

Quem está mais firme no propósito da dieta, também pode apostar no ovo. Sua clara é rica em aminoácido leucina, que contribui para a massa magra, enquanto a gema tem ômega 3, que é uma ótima fonte de gordura para proporcionar o equilíbrio entre insulina e glicose.

Se for você quem está preparando a ceia, além dos cuidados que citei acima sobre a escolha dos ingredientes, vale a pena investir em pouco óleo e pouco sal. Se a ceia foi preparada por outra pessoa, esteja distante dos alimentos ricos destes ingredientes na hora de escolher o que irá comer.

SOBREMESA:

Sem dúvida alguma, posso lhe afirmar que as frutas são as melhores escolhas para a sobremesa. E, para a nossa alegria, toda ceia costuma ter uma mesa farta delas.

Se mesmo com tantas opções, você não consegue ficar longe dos bolos e tortas, sugiro ser coerente na hora de pegar a sua fatia. Pegue um pedaço pequeno e complemente com as frutas para mais saciedade.

O alerta também é feito para o famoso panetone. Ele pode parecer inofensivo já que é cheio de frutas secas, mas tome cuidado porque ele costuma ser preparado com farinha branca e muito açúcar.

Espero que tenha gostado das dicas. Para mais informações sobre saúde, siga-me no Instagram: @drcarlostoloi.

Se você já me acompanha pelo Instagram (@drcarlostoloi), provavelmente assistiu um dos meus stories explicando a relação entre o omeprazol e a diminuição do ferro. Depois dessa publicação, recebi muitas mensagens com dúvidas sobre essa temática, por isso, hoje as esclareço aqui.

O Omeprazol, faz parte dos medicamentos conhecidos como Inibidores da bomba de prótons, que são medicamentos comumente usados para aliviar as dores de estômago em pessoas que têm gastrite, por exemplo. Ele integra um grupo de remédios denominados anti-secretores, que age interferindo na produção de ácido clorídrico, o que certamente gera impactos para o organismo.

Esse ácido  produzido no estômago tem como uma das principais funções a inibição da entrada de bactérias no seu intestino, o que colabora para prevenir infecções. Mais que isso, a mesma célula que produz o ácido clorídrico também trabalha fabricando uma substância denominada fator intrínseco, fundamental para absorver a vitamina B12. Um deficiência recorrente dessa vitamina pode ocasionar em quadros de demência.

Em relação ao ferro, a quantidade muito reduzida do ácido clorídrico no estômago diminui a metabolização, atrapalhando na retirada do ferro a partir dos alimentos que você consome. Além disso, também pode interferir na absorção de cálcio. Já ouviram alguma vez que é interessante dar o suplemento de ferro para crianças junto com um suco de laranja? Isso ocorre para que a acidez da laranja ajude na absorção do ferro.

Com pouca absorção de ferro e de cálcio, o consumidor assíduo de omeprazol pode sim desenvolver anemia e osteopenia, que leva a conhecida osteoporose.

Apesar de parecer preocupante, não quero assustá-lo. O omeprazol pode sim ser um aliado para a saúde e também para o tratamento de pacientes com problemas estomacais. O grande perigo está na automedicação!

Jamais faça a ingestão desse ou de qualquer outro medicamento sem a recomendação e acompanhamento do seu médico de confiança. O seu médico irá saber qual dose é recomendada para você e por quanto tempo você pode fazer uso do omeprazol. Com esse acompanhamento, você estará bem mais seguro.

Há muitos mitos em torno do processo de emagrecimento quando o assunto é treino em jejum. Neste blogpost, você conhece os prós e contras da prática.

O jejum intermitente é realmente um assunto muito falado quando mencionamos as dietas mais famosas da atualidade. Tendo-o em mente, a dúvida logo vem: treinar durante o jejum é bom ou ruim?

Como toda ciência que não é exata, quando falamos do nosso corpo a resposta é: depende! 

Quando estamos há algumas horas sem nos alimentar, nossa reserva de glicogênio é menor, fazendo com que o organismo utilize a gordura como fonte de energia. No entanto, afirmar que treinar sem comer ajuda no emagrecimento sem considerar as particularidades de cada caso é um mito, visto que ninguém permanece em jejum o tempo todo. O perigo está em como a pessoa se alimenta nos horários de janela – aqueles em que a alimentação é permitida.

Se você pretende começar a praticar exercícios em jejum, recomendo que inicie por aqueles de baixa intensidade, mas que utilizam a gordura prioritariamente como substrato energético. Alguns exemplos são: corrida, ciclismo, caminhada e natação.

No entanto, se esse hábito já é uma realidade em sua rotina, você pode praticá-lo em exercícios com uma intensidade maior, como é o caso da musculação. Contudo, devo alertar que sua performance pode ser afetada já que, nesses casos, o desempenho no esporte pode ser prejudicado, embora o hábito contribua para o organismo em suas adaptações fisiológicas.

Alerto também que quem treina em jejum deve evitar ficar mais que oito horas sem comer. Esse também não é um hábito indicado para quem possui uma vida sedentária ou se alimenta com exagero de carboidratos.

Se o seu objetivo é emagrecer, recomendo sempre procurar um médico nutrólogo acompanhado de um nutricionista. A análise do seu quadro médico aliada à uma dieta personalizada lhe ajudarão a alcançar o seu objetivo.

Eu posso estar com você nessa missão por mais saúde e qualidade de vida. Em janeiro, lançarei um desafio de 90 dias para quem procura emagrecer e mudar os seus hábitos de vida. Acompanhe-me no blog e através do Instagram (@drcarlostoloi) para mais detalhes. No Telegram, você tem acesso a conteúdos exclusivos, para participar, clique aqui.

Se você é fiel às leituras do meu blog ou me acompanha pelo perfil no Instagram (@drcarlostoloi) sabe que eu realizei um desafio com meus seguidores da rede social em prol de promover saúde e qualidade de vida. O emagrecimento foi uma das consequências mais perceptíveis entre aqueles que estiveram comigo.

O desafio foi realmente um sucesso. Foram 248 pessoas no grupo fechado do Telegram que conseguiram conquistar mais saúde com 30 dias de mudança de hábito.

Até hoje, nós ainda conversamos no grupo, que você pode acessar clicando aqui, e compartilhamos sugestões e dicas para uma vida mais saudável. Afinal, a mudança precisa ser de vida, de forma que estejamos sempre dispostos a estar melhores.

Fiquei muito surpreso com o empenho dos participantes e feliz pelos resultados que alcançamos. Por isso, agora, estou idealizando um novo desafio!

Dessa vez, meu intuito é realizar uma proposta ainda mais completa. Ao invés de 30 dias, serão 90 dias com o meu acompanhamento. Estará incluído:

– Consulta médica comigo;

– Avaliação com nutricionista;

– Exames individuais;

– Aulas semanais;

Como bônus, também darei:

– Exame de Bioimpedância no início e no final do desafio para participantes que podem se deslocar até minha clínica;

– E-book sobre alimentação saudável;

– E-book com receitas saudáveis.

A melhor parte é que abrirei vagas para pessoas de todo o país participarem. No entanto, essas vagas serão limitadas e bastante restritas para que eu consiga acompanhar a todos de perto.

O desafio começa em janeiro de 2021 para que comecemos o ano novo com um novo estilo de vida e, claro, para ajudar a perder os excessos que muita gente comete nas festas de fim de ano.

Em breve, darei mais informações sobre como se inscrever. Fique atento ao site e as minhas redes sociais para mais informações. 

Eu já trabalho com emagrecimento no meu consultório há alguns anos.  Durante todo esse tempo, tornou-se muito comum ouvir dos meus pacientes que conseguem perder peso rapidamente no início do tratamento e, com o tempo, a tarefa vai ficando cada vez mais difícil.

O primeiro passo para entender o porquê isso acontece é tomar consciência que não é o volume de exercícios ou uma dieta restritiva que irá fazer você perder peso de forma efetiva. Por isso, o acompanhamento profissional é tão importante.

Não existe o desejo de emagrecimento por parte do organismo, assim, ele acaba dificultando as adaptações fisiológicas a longo prazo. Como principal característica, podemos citar a diminuição do metabolismo basal, também conhecido como termogênese adaptativa.

O metabolismo basal é a quantidade mínima de energia obtida através da alimentação para que o seu corpo possa manter você vivo quando estiver em estado de repouso. Para ser mais específico, é o que ele precisa para que você continue respirando, que o seu coração continue batendo, dentre outras funções.

A diminuição dos níveis do hormônio da tireóide T3, da leptina e a pouca atividade do sistema simpático contribuem para que o processo de conquista do emagrecimento seja cada vez mais demorado. Isso explica o porquê a tentativa de perder peso pela primeira vez é muito mais fácil que as próximas.

Pensando por outro ponto de vista, o emagrecimento ocorre quando a oferta de alimento é menor do que aquela que o organismo necessita. Isso é simulado através de uma dieta equilibrada.

Assim, o meu conselho é sempre o mesmo: CONSTÂNCIA! Se você quer emagrecer com saúde, precisa mudar seus hábitos e realmente tornar essa mudança parte do seu estilo de vida. Para atingir tal persistência, você precisa parar de acreditar em dietas milagrosas e ser acompanhado por um nutrólogo em parceria com um nutricionista.

O profissional capacitado irá avaliar se você tem algum problema de saúde no organismo que atrapalha o seu emagrecimento, como desequilíbrio hormonal, ou se tudo que precisa é apenas de uma dieta personalizada aliada a prática regular de exercícios físicos.

Se engana quem pensa que a alimentação é o único fator decisivo para obter sucesso durante o processo de emagrecimento. Não importa o quanto você “fecha a boca”, você não irá conseguir mudar os números da balança caso os seus hormônios estejam desregulados.

Para entender como os hormônios influenciam nesse processo, podemos compará-los aos carteiros. Eles possuem como papel levar uma mensagem até as células avisando o que devem fazer e produzir.

Assim, os hormônios regulam ações biológicas do nosso organismo, como a quantidade de açúcar no sangue, avisando as células do tecido se é o momento de metabolizar a glicose.

Tendo isso em vista, é fácil entender que o excesso ou a falta do hormônio tem interferência direta na regulação do peso, tanto para aumentar como para diminuir. Assim, eles possuem a responsabilidade de dosar a quantidade de calorias que gastamos durante o dia, com a desregulação fica mais difícil até para a construção de massa muscular.

Abaixo darei alguns exemplos de hormônios que podem afetar o emagrecimento.

Cortisol:

Conhecido como hormônio do estresse, o cortisol possui algumas funções no organismo, tais quais: redução de inflamações, regulação do sistema imunológico e, claro, regulação do estresse. Em relação ao peso, ele contribui para a glicemia em jejum e função muscular.

Quando está em alta, o paciente apresenta maior estresse e aumento de peso, graças ao ganho de gordura abdominal e queda da massa muscular.

Grelina e GH:

A grelina é o hormônio que diz para o seu cérebro se você quer se alimentar agora ou em outro momento, assim, ela costuma estar em pico antes das refeições. Entendendo esse princípio, é possível perceber que esse hormônio colabora para diminuir o excesso de gordura. Mas, não é só isso, ele também incentiva a produção de outro hormônio, o GH.

O hormônio do crescimento, GH, tem papel importante para o metabolismo da gordura e manutenção da massa muscular. Quem tem mais de 30 anos deve estar ainda mais atento, pois, nessa idade, os níveis diminuem bastante, deixando os efeitos no corpo ainda mais evidentes.

Leptina: 

Esse hormônio é responsável por controlar o apetite e a saciedade. Seu funcionamento ocorre através do tecido adiposo, que avisa o hipotálamo quando a gordura está em excesso e ajusta o consumo de alimentos. Ou seja, a leptina é responsável por adaptar o seu comportamento alimentar de acordo com as necessidades de energia do seu corpo.

Quando você tem muita gordura acumulada, o hormônio é produzido em grande quantidade, mas pessoas com excesso de peso podem possuir resistência a essa funcionalidade.

Além disso, quando há uma perda significativa de gordura de uma só vez, a leptina abaixa e o apetite aumenta, dificultando a perda de peso. Dessa forma, é necessário que a leptina esteja sempre em equilíbrio.

Se você gostou dessa dica e quer saber mais sobre perda de peso e qualidade de vida, siga-me no Instagram: @drcarlostoloi.

Neste mês, a cor verde ganha mais evidência. Setembro é o mês dedicado ao combate do câncer de intestino. A campanha é produzida anualmente pela Sociedade Brasileira de Coloproctologia e está ganhando cada vez mais força devido ao número de casos dessa natureza.

De acordo com Instituto Nacional do Câncer (INCA), as estatísticas apontam que, em 2020, alcancemos 40.990 casos durante o ano de câncer de intestino, sendo os homens os mais afetados. Apesar de ser altamente curável quando descoberto no princípio da doença, muitas pessoas ignoram os sinais. Para se ter uma ideia do quão isso pode ser perigoso, 19.603 pessoas morreram em 2018 por decorrência do câncer segundo o Atlas de Mortalidade por Câncer.

Vamos entender melhor?

O que é o câncer de intestino:

Esse câncer engloba os tumores que tem partida na fração do intestino grosso denominada cólon, reto e ânus. O INCA também denomina como câncer de cólon e reto ou colorretal.

O câncer de intestino tem tratamento e chances de cura na grande maioria dos casos, no entanto precisa ser detectado precocemente, quando ainda não atingiu outros órgãos. Uma parte considerável dos tumores têm início a partir de pólipos, conhecidos como lesões benignas que podem surgir na parede interna do intestino grosso.

Alguns fatores são considerados de risco para o surgimento da doença. São eles:

– Idade igual ou superior aos 50 anos;

– Excesso de peso;

– Pouca ingestão de fibras e alto consumo de alimentos processados;

– Histórico familiar ou histórico pessoal de outros tipos de câncer, como mama e ovários;

– Doenças inflamatórias do intestino, como Doença de Crohn.

Atente-se aos sintomas:

Os sintomas podem se confundir com os de hemorróidas ou verminoses, independente do caso é sempre importante procurar o seu médico. Perceba os sinais:

  • Sangue nas fezes;
  • Diarreia ou prisão de ventre;
  • Desconforto na região abdominal;
  • Anemia;
  • Fraqueza;
  • Perda de peso;
  • Fezes muito compridas e finas.

Como prevenir:

A forma de prevenção do câncer de intestino é a mesma que previne centenas de outras doenças: prezar pela qualidade de vida. Fique longe do tabagismo, pratique atividades físicas com regularidade, cuide do seu peso e da sua alimentação.

Como sempre digo aos meus pacientes: é fundamental dar preferência aos alimentos in natura, ter uma alimentação saudável, balanceada e rica em fibras. Mais dicas sobre o que ter em seu prato você pode encontrar baixando o meu ebook.

Compartilhe esse blogpost com os seus amigos e vamos juntos cuidar da saúde.

O portal de notícias PebMed divulgou os resultados de um estudo do Centro de Pesquisa em Obesidade e Comorbidades (OCRC), da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), sobre a relação entre a gordura saturada e a sensação de saciedade. Os resultados são surpreendentes!

Um grupo de pesquisadores da instituição descobriu que consumir em excesso alimentos ricos em gordura saturada podem causar a morte de neurônios do hipotálamo, local do cérebro onde se identifica a nossa saciedade. De acordo com a pesquisa, pessoas com obesidade não possuem o pleno funcionamento dos sinalizadores de saciedade como resposta ao nível alto de gordura mesmo tendo mais insulina e leptina no corpo.

Esse fator preocupante acontece porque a estrutura da gordura saturada é parecida com a parede de alguns tipos de bactérias, assim, o organismo reage se protegendo e gera uma inflamação que destrói os sinalizadores de saciedade.

A pesquisa foi desenvolvida com indivíduos magros, obesos e aqueles que passaram pela cirurgia bariátrica. Nos indivíduos magros, a resposta do hipotálamo foi positiva, nos obesos foi muito abaixo do esperado e nos que passaram pela cirurgia foi intermediária.

Outros estudos ainda estão sendo realizados para perceber se é possível reverter esse quadro nos indivíduos obesos. No entanto, já foi possível perceber que a adoção de uma alimentação balanceada contribui para o retorno de vias que haviam sofrido a inflamação.

Antes de encerrar o blogpost de hoje, devo lembrá-lo que a gordura saturada não é a única vilã da alimentação. A gordura trans também não faz bem para a saúde e deve ser evitada, combinado!?

O blog de hoje é um convite. Vou fazer um desafio para os meus seguidores do Instagram (@drcarlostoloi) que desejam alcançar mais saúde e qualidade de vida.

Durante um mês, acompanharei de perto todos aqueles que desejarem participar. Quero ajudar você a melhorar aos poucos a alimentação, incentivar a prática de atividade física e também mostrar que precisamos ter um olhar amplo para todas as partes de nossa vida, como o lazer e o sono.

Para esses trintas dias de desafio, os participantes receberão um ebook escrito por mim que contém dicas que vão desde a ingestão de água até a forma de congelar alimentos. Além disso, também enviarei um calendário para anotação de cada etapa cumprida e uma roda da vida para preenchimento semanal.

Mais que a oportunidade de sentir na prática como a mudança pode ser positiva, darei para dez pessoas um exame de bioimpedância gratuito. Esse exame mostra como está sua composição corporal.

Ao término, quem se destacar ganhará uma avaliação com nutricionista e um mês de acompanhamento com personal trainer.

Conto com você neste desafio! Vamos juntos conquistar uma vida mais saudável. Garanto que você sentirá a mudança no seu corpo e continuará as boas práticas mesmo após os trinta dias.

Visite o meu Instagram e saiba mais: @drcarlostoloi