Uma nova perspectiva sobre a obesidade e suas reverberações.

Entre os dias 4 e 7 de junho de 2020 aconteceu o “The Blackburn Course in Obesity Medicine” da Harvard Medical School. O evento é considerado um dos principais eventos mundiais de atualização sobre o tratamento da obesidade.

O curso, inicialmente marcado para acontecer na Faculdade de Harvard,  este ano, diante da pandemia mundial do COVID-19, necessitou ser alterado para o formato remoto, através de sessões ao vivo.

Foram 4 dias intensos, onde a obesidade foi abordada de maneira séria, como merece. Afinal, ela é a doença crônica mais relacionada com mortes ditas evitáveis.

Os professores da Faculdade de Medicina de Harvard e convidados debateram durante 40 horas em 4 dias. Entre os temas, abordamos a epidemiologia, mostrando que mesmo com todas as medidas para controle da doença, o que observamos é um aumento mundial no número de obesos.

Falamos também sobre o grande aumento de casos em paciente cada vez mais novos e em como lidar com a obesidade infantil. Dessa forma, tivemos uma visão em 360 graus, vendo como o problema está relacionado com áreas como: nutrição, cirurgia, endocrinologia, gastroenterologia e saúde mental.

As aulas correlacionaram a obesidade e sua relação com: meditação, ritmo circadiano (a importância do sono),  genética, diabetes, cardiopatias, esteatose hepática (gordura no fígado), enfim, de praticamente tudo relacionado com obesidade.

Conversamos também sobre as novidades relacionadas ao desenvolvimento da doença e sobre as dificuldades no tratamento. Um dos pontos mais debatidos foi o porquê cada paciente responde de uma maneira ao tratamento. Assim, estudamos a necessidade de seguir os seguintes cuidados:

  • Avaliação abrangente do paciente;
  • Gerenciamento médico do paciente com obesidade;
  • Atenção aos distúrbios metabólicos;
  • Acompanhamento otimizado após cirurgia bariátrica;
  • Técnicas eficazes de aconselhamento e motivação para que ele possa lidar melhor com os problemas pessoais causados pela obesidade;
  • Estratégias e terapias emergentes para a obesidade genética;
  • Compreensão de como a dieta influencia os processos metabólicos.

Pensando em tratamento, além do tratamento medicamentoso, endoscópico e cirúrgico, muita atenção foi dada ao tratamento envolvendo a mudança dos hábitos de vida, que envolvem uma alimentação saudável, prática de atividade física, manejo do stress, higiene do sono, entre outros.

Aos poucos irei falar sobre alguns desses temas com você. Acompanhe!

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *